terça-feira, 22 de março de 2011

Cidadania


Numa dessas ações, mutirões de serviços assistencialistas em comunidades pobres, a TV entrevistou um homem, próximo dos setenta anos de idade. Ele estava radiante com alguma coisa. Então perguntaram-lhe o que havia.

Ele deu um pulinho e respondeu, animado:

- 'Tô feliz da vida. Agora sim! Tenho minha própria carteira de identidade! Sou um cidadão brasileiro.

3 comentários:

  1. Antes que alguém comente, não foi proposital meus contos irem diminuindo a cada semana, enquanto os da Cinthia aumentam ^^
    Semana que vem, postarei um conto com mais palavras (mas não prometo que a Cinthia vá postar um com menos)!

    ResponderExcluir
  2. Huahuahua! Também não prometo isso! Sempre que eu tento diminuir meus contos, eles aumentam. É melhor não tentar nada que eles saem na medida certa. ;)
    E o seu conto, mesmo curto, toca num assunto gigante que merece muita reflexão. Adorei! =]

    ResponderExcluir
  3. Très bien!
    Só uma coisa: Assistencialista é diferente de assistencial.

    ResponderExcluir