sexta-feira, 15 de abril de 2011

Símbolos

O Menino e a Menina estavam deitados na grama do parque, olhando para as nuvens. Nada mais do que isto: apenas absortos no passatempo mais singelo e contemplativo de qualquer idade. De quando em quando apontavam para uma nuvem ou outra que lhes chamava a atenção. Lá pela metade da tarde, com o vento soprando mais forte e trazendo mais umidade, a brincadeira ficou mais divertida.

- Olha aquela lá! – apontou o garoto. – Parece uma coroa.

- Onde?

- Ali, aquela nuvem bem grande.

- Ah, eu vi! E perto dela tem um homenzinho bem pequeno. Parece que está correndo.

- Parece que ele tropeçou.

- Não, ainda está correndo.

Depois de mais alguns minutos discutindo se o homenzinho de vapor que se dissolvia estava correndo ou tropeçando, as crianças avistaram uma nuvem enorme chegando e engolindo as outras. Parecia um dirigível, com cabine e até hélices.

Quando ela se foi, a menina avistou um cavaleiro montado num grande cavalo. Mas o cavalo rapidamente sumiu e o cavaleiro ficou sozinho no meio do céu azul, impassível, imutável. Curiosamente, sua forma não se desmanchou como as outras, apenas se afastou carregado pelo vento.

O menino viu uma torre, cheia de sacadas e outras pequenas torrinhas que saíam do corpo principal. A menina disse que era um grande garfo com muitas pontas. Repetiu tanto isso que, quando a forma começou a se desmanchar, ele teve que admitir que parecia um bizarro garfo retorcido.

Ambos avistaram de longe pequenas nuvens se aproximando formando algo muito próximo de um "V". Vários passarinhos coloridos voaram no meio dessas nuvens como se estivessem em um show da Esquadrilha da Fumaça. Voando acima deles e descrevendo círculos viram alguns pássaros negros. Quando os coloridos os avistaram, voaram para cima deles ferozmente, defendendo seus irmãos e as nuvens em "V", que no momento pareciam fazer parte do seu território. Os pássaros negros voaram para longe, e os pássaros coloridos continuaram o seu pequeno show por quase meia hora.

- Olha aquela nuvem lá – apontou a menina. – O que será que é?

- Qual?

- Aquela que 'tá chegando perto. É enorme e cinza. O que ela parece pra você?

Logo acima da cabeça deles um raio saltou no meio da grande nuvem cinza e foi imediatamente seguido de um trovão que assustou as crianças, paralisando-os na grama. Antes que pudessem sequer pensar em se levantar, gotas enormes caíram sobre eles e toda a cidade.

É, com certeza era uma nuvem de chuva.