sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sábado (parte 2)

- O que a Clara e o Tiago estão fazendo aqui?

- Ué, eu convidei eles para virem, por que?

Como assim convidou? Convidou quem, para o que e onde? Caso você não esteja acompanhando a história vou fazer um resuminho rápido só pra contextualizar (sim, eu falo com o leitor no meio da narrativa):

Leonardo e Fernanda são dois adolescentes que, além de serem muito amigos, também nutrem uma paixão platônica um pelo outro. Fernanda é uma pessoa doce como chá de morango e Leonardo tem um desejo muito grande de ajudar as outras pessoas. Neste momento os dois acabaram de chegar para prestar serviço voluntário em uma casa que cuida de crianças com problemas familiares porém, ao encontrar dois colegas de classe Fernanda ficou de mau humor e disse:

- O que a Clara e o Tiago estão fazendo aqui?

- Ué, eu convidei eles para virem, por que?

- Nada de mais. (Dica para a vida: Homens, sempre desconfiem quando as mulheres dizem que "não tem nada de mais" porque provavelmente tem alguma coisa. Mulheres, não precisa desconfiar quando os homens dizem que "não tem nada de mais" porque provavelmente não tem nada mesmo).

Fernanda é uma pessoa doce e querida, daquelas que se dá bem com todo mundo e, mesmo não tendo nada contra a Clara e o Tiago, nunca se esforçou muito para se relacionar com eles com com o seu grupinho simplesmente por não conseguir perceber um interesse recíproco da parte deles. Leonardo, que as vezes demora um pouco para entender o que se passa na cabeça de Fernanda, começou a conversar com Tiago há poucos dias quando descobriram alguns interesses em comum. Leonardo então convidou o Tiago para o serviço voluntário e o Tiago convidou a Clara. Acontece que dessa vez só o olhar de Fernanda já permitiu rapidamente que Leonardo percebesse o que ela estava pensando:

- Como assim "nada de mais"? Então por que essa cara emburrada? Eu sei que você não tem muita amizade com a Clara, mas alguma vez pelo menos você tentou conversar com ela?

- Já, já tentei sim. Mas ela sempre fica na dela no colégio. Nunca veio falar comigo ou me cumprimentar.

- Mas então por que você não vai falar com ela e cumprimentá-la? Todo mundo sempre fala que você é tão querida e tudo mais, por que não tenta tomar a iniciativa? Vai lá! Eu confio em você!

Certas coisas quando são ditas por certas pessoas tem um peso tão forte... Depois de ouvir isso de Leonardo, Fernanda ficou sem argumentos. Respirou fundo e decidiu encarar o medo do desconhecido ou, no caso, da desconhecida. Caminhou até a rodinha de crianças onde Clara estava sentada, cumprimentou-a, abriu espaço entre as outras meninas para se sentar e pegou uma boneca que estava no meio da roda para brincar.

Na primeira vez em que Clara apareceu nessa história, alguns capítulos atrás, seu papel era secundário, porém como a partir de agora ela desenvolverá um papel mais importante na narrativa, vou deixar a história se desenrolando no fundo, para falar um pouco mais sobre ela, como prometido na época. Como já fora dito, Clara é o sonho dos garotos, bonita e sorridente. Por causa disso ela nunca teve que se esforçar em atrair pessoas ao seu redor porque simplesmente as pessoas vinham naturalmente querer estar perto dela. E como Clara não se esforçava para isso, Fernanda deduziu que ela não fosse nada amigável mas ao perceber a forma como ela brincava com as crianças e o quanto as meninas gostavam de estar com ela, Fernanda se surpreendeu. Nem sempre as coisas (e pessoas) são o que parecem e Clara mostrou-se uma boa surpresa!

Essa história não acaba por aqui, a manhã com as crianças ainda vai longe, mas como o capítulo já está ficando longo é importante que algumas coisas sejam ditas antes de encerrá-lo. Leonardo, Clara, Fernanda e Tiago aos poucos foram se apaixonando por aquelas crianças e criando laços que os estimulavam a acordar cedo todos os sábados para tentar mudar aquelas vidas tão difíceis para melhor. E o tempo juntos e o amor por aquele trabalho foi criando aos poucos uma amizade entre eles que crescia e se fortalecia a cada semana. A princípio os outros colegas de classe não conseguiam entender como quatro pessoas tão diferentes conseguiam se dar tão bem, mas com o tempo eles se tornavam tão amigos que era até difícil imaginá-los separados.

Os quatro continuaram visitando a tia Maju e as crianças quase todo fim de semana, e a Clara continuou convidando Leonardo para o cinema, mas agora a Fernanda e o Tiago também iam juntos. E iam juntos para torcer nos jogos do Tiago, e para assistir as apresentações da Clara, e choraram juntos quando o avô da Fernanda faleceu. E foram amigos durante todos os anos da adolescência, mas a adolescência passa tão rápido...

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nota do autor:

Aqui termina a primeira parte da história de Leonardo e Fernanda. Vou dar uma pausa por alguns dias e postar textos mais curtos e independentes mas em breve chegará até vocês a segunda parte. Espero que todos estejam ansiosos!