terça-feira, 8 de novembro de 2011

Domingo

- Parece que foi ontem! Tudo aconteceu tão depressa que eu nem acredito que amanhã começa a nossa última semana de aulas!

- Foi rápido mesmo, é verdade, mas como eu aproveitei esses anos!

- Qualé, pessoal! Vocês estão falando como se nós nunca mais fossemos nos ver! Domingo, nós quatro vamos arrasar naquele vestibular e ano que vem estaremos todos juntos na faculdade!

- Ah, mas e se eu não passar? Puxa, galera... Vocês sempre foram bem no colégio e tal, mas eu não tenho tanta confiança assim.

- Claro que vai, Tiago! É só não marcar bobeira. Você estudou tanto quanto a gente esse ano, vai dar tudo certo! Não é hora de ficar pensando essas coisas. A Clara tem razão: domingo que vêm nós quatro vamos mostrar o porquê estudamos tanto esse ano! Vamos dar o nosso melhor, vamos passar no vestibular e vamos comemorar o resultado todos juntos! Vai dar tudo certo, nós não iremos nos separar! Vamos nos ver na faculdade toda semana e daqui a cinco anos nós nos encontraremos aqui de novo e a Clara será dentista, você, engenheiro, eu vou ser jornalista e a Fernanda... Fer, afinal de contas, o que você vai fazer no vestibular?

- Ai, Léo... Que mancada, hein? Você não lembra justo o que a sua melhor amiga vai fazer no vestibular? Ela já falou para a gente várias vezes que ela vai fazer... Peraí...

- É verdade, Fer! Toda vez que a gente perguntou você fugiu do assunto, deu uma resposta meio vazia e não respondeu. Por que isso? Vai lá, abre o jogo! No que você se inscreveu, afinal de contas?

Normalmente eu não acredito em premonições, mas sou obrigado a dar o braço a torcer em alguns casos, especialmente quando são notícias ruins. Parece que dá pra sentir no ar quando alguém vai falar alguma coisa desse tipo. Leonardo arrepiou. Antes mesmo de Fernanda abrir a boca ele sabia que não vinha coisa boa.

- Eu não me inscrevi. – Foi tudo o que Fernanda disse. Ela também não estava muito confortável nessa situação, pois tinha muito medo da reação que Leonardo teria.

Clara segurou firme nas mãos de Fernanda, olhou fundo nos olhos dela e perguntou preocupada:

- Tá tudo bem com você, Fer? Por favor, diz que tá! Você não tem nenhuma doença, né? Por favor!

- Ela está bem, Clara. Muito bem. Ela vai embora, é só isso.

- Como assim "vai embora", Léo? Ela já tinha te contado alguma coisa? Você sabe alguma coisa que nós não?

- Não, Clara. A Fernanda não me contou nada. Eu apenas sei, está nos olhos dela. – Leonardo já tinha se levantado para sair quando disse isso. Ele juntou suas coisas e foi embora sem olhar pra trás. Ele pensou várias vezes em voltar correndo pra Fernanda e pedir para que ela não fosse embora, mas o que ele iria dizer? Fernanda era suficientemente decidida para não voltar atrás em uma decisão tão séria como essa só porque um coleguinha dos tempos de escola pediu para ela ficar.

No outro lado, ainda sentada e sem conseguir falar nada, Fernanda enxugou uma lágrima teimosa que escorreu pelo seu rosto. Tudo aquilo que ela não queria aconteceu e tudo aquilo que ela queria não aconteceu. Ela partiu o coração justamente do seu melhor amigo e ele não voltou atrás dela pedindo que ficasse.

- Talvez se eu tivesse contado aquilo que eu sentia, tudo estaria diferente agora. – O mesmo pensamento passava pela cabeça de Leonardo e Fernanda enquanto eles se afastavam – mas eu não tive coragem e... agora é tarde demais.