sábado, 12 de novembro de 2011

Tudo Preto

Pânico. Não havia palavra melhor para descrever o estado do Menino. Mãos tremiam, pupilas dilatas em órbitas arregaladas, um leve brilho de suor na testa.

"Quero que isso acabe logo. É uma tortura! Por que ficamos por último?", pensava.

A Menina então tocou a sua mão. Ele ouviu aplausos como se estivessem longe, e não a toda a sua volta. A Menina sorria. Como ela podia sorrir numa hora dessas?

- Vamos, somos os próximos.

Ninguém havia faltado naquele dia. Ninguém! Todos os seus colegas estavam presentes na classe. Nenhum amigo. Nenhum, além da Menina. Ela escolhera o tema da apresentação, pois gostava muito das aulas de biologia. Ele apenas decorara um pequeno texto sobre a alimentação dos ursos panda. Ou pelo menos achava que havia decorado. O que eles comiam mesmo?

- Não se preocupe, vai dar tudo certo - a Menina lhe falou enquanto iam até o tablado na frente da sala. - Quando ficar mais velho, você vai gostar de lembrar desses trabalhinhos. Por isso, aproveite o momento pra se soltar. Não é como se a vida de alguém dependesse disso, então relaxe!

O sorriso da Menina era relaxante. Sem saber como, ele já estava diante de todos os seus colegas e do professor. A Menina pendurou os cartazes que haviam feito no dia anterior, e então começou a falar empolgadamente sobre os ursos mais fofos do planeta, no seu ponto de vista. O Menino estava muito nervoso quando chegou a sua hora de falar, mas pelo menos se lembrava do texto.

No instante que abriu a boca, toda a escola caiu numa escuridão silenciosa. Blackout. Por ser a última aula do dia, o professor dispensou a turma mais cedo. O Menino, nervoso, esqueceu tudo que havia decorado sobre a alimentação dos pandas.

* ~ * ~ *

O Menino-Moço estava sentado no sofá de sua casa, pensativo, fitando uma parede branca. Quando a Menina-Moça entrou na sala, acendeu a luz, ofuscando-o por um momento.

- O que você está fazendo aqui no escuro?

- Estava tentando me lembrar o que os pandas comem. Não sei por que as pessoas usam a expressão "dar um branco" quando se esquecem de algo que sabem. Quando tento lembrar isto, na minha mente fica tudo preto.