sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Guria!

- Tiago, e a sua prova, como foi?

- Putz, guria... To achando que esse lance de engenharia não era para mim. Só to levando bomba o semestre inteiro.

- Sério, piá? Você foi mal de novo? Mas não tá pensando em desistir, né?

- Ah, Fer, nem se preocupe, a turma inteira dele foi mal. Ele vai conseguir, né Tiago? A gente já conversou esses dias e vamos tentar dar uma força pra ele!

- Que bom, Léo! Nossa, galera, vocês fazem uma falta tão grande pra mim aqui... Eu to curtindo e tal, mas vocês não imaginam a quantidade de vezes que eu penso em vocês. Vocês vem me visitar, né?

- Claro que a gente vai, Fer! Só mandar as passagens. *bocejo* Ai, galera, acho que eu vou dormir, já tá tarde.

- Tarde? Qualé! Aqui são três horas mais tarde e eu estou acordada!

- Foi mal guria. Eu to bem cansado, acho que também vou dormir. Boa noite, Fer. Boa noite, Clara.

- Boa noite, Tiago. Boa noite, Léo.

*Tiago desconectou.

*Leonardo desconectou.

...

- Guria!

- Diga!

- Agora que estamos só nós duas eu preciso te contar um negócio.

- Ai... ai... ai... Não me diga que você fez a tatuagem?

- Não, não. Ainda não. Lembra daquela minha amiga de Liverpool que falou que ia me apresentar o primo dela? Então, a gente se conheceu, ele me ligou, me convidou para sair...

- Sério? E aí, como foi? Como ele é?

- A gente foi num pub bem legal, eu já tinha ido lá outras vezes.

- Um pub? Nossa, que british!

- Super british, guria! E ele é muito legal, bem britânico mesmo. Veste xadrez, é educado e tal.

- E daí, guria? Conta mais!

- Ah... daí a gente ficou conversando, se conhecendo. Gostamos das mesmas coisas, ele elogiou o meu sotaque... A gente vai sair de novo na sexta. Eu não sei o que contar. Eu to gostando dele e acho que ele também está gostando de mim.

- Uau, quem diria, hein Fernandinha? Arrasando corações!

- Ah... (sons que meninas fazem quando estão sem graça e que não podem ser traduzidos em onomatopéias)

...

- Guria...

- Diga!

- Eu também preciso te contar uma coisa.

- Jura? Hmm... o que você aprontou dona Clara?

- Então, quando eu fui pra praia nas férias eu fiquei com um piá...

- Só um? Sei...

- Também não exagera, né? Então, só que era um cara de quem eu era afim há um tempão.

- Essa tua história parece boa, hein?

- Pois é, é bem boa. Na verdade, a gente bebeu um pouco um dia lá e... Ah, a gente ficou.

- Sei... Tipo por acidente, né? "Ups, fiquei com ele!".

- É... tipo um acidente. Mas não acaba aí. Eu era afim dele, né? E agora ele pediu para namorar comigo.

- O que? Você namorando? Quem diria, hein Clarinha!

- Pois é. Ainda não dei uma resposta para ele... mas eu estava querendo dizer sim.

- Uau! E quem é esse cara que finalmente conseguiu te conquistar? Você falou que é afim dele faz tempo, eu conheço?

- Conhece...

- E quem é? Fala logo!

- É o... é...o Léo.

...

Guria?

...

- Oi guria, desculpa. Fez uns barulho estranho lá na cozinha e eu fui ver o que era, daí não consegui ouvir o que você falou. E aí, quem é o rapaz sortudo?

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nota do Autor:

Após uma correria de fim de ano, eis os contos que eu estava devendo. Este último, inclusive, é interativo (um teste). Você, leitor, vai poder colocar nos comentários se acha que a Clara deve ou nào dizer a verdade para a Fernanda. A opinião de vocês é que irá definir o rumo que a história irá tomar nos próximos contos.