sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Sorria, você está na terra da rainha

Acredito que os sentidos e os sentimentos não são originados de uma mesma palavra a toa. A forma como percebemos aquilo que vemos, ouvimos e tocamos parece mudar totalmente de acordo com o que está passando dentro dos nossos corações.

Fernanda decidiu superar a dor, preferindo manter as lembranças do melhor amigo do que cultivar a angústia de imaginar o que teria acontecido se... E agora ela não sentia mais mágoas nem tristeza. A saudade continua, mas quem disse que saudade é uma coisa ruim?

E com essa nova alegria, Fernanda começou a perceber uma cidade completamente diferente. Uma nova Londres que despertava todos os seus sentidos: as cores dos ônibus virando as esquinas, o som do underground se aproximando e se afastando nos túneis - "Efeito Dopler!" pensou ela, e riu sozinha de forma descompromissada - o cheiro da neblina no começo da manhã, o gosto da pipoca da Trafalgar Square e o tato... bem, os ingleses não são muito adeptos de ficar encostando nas coisas.



Aos poucos suas expectativas foram sendo superadas e conforme Fernanda ia se sentindo mais a vontade na sua nova vida, menos frequentes ficavam suas ligações para casa. Quem já passou por uma experiência similar diz que é normal... Difícil foi a Clara conseguir convencer a mãe dela disso.

O rendimento na universidade também melhorou e Fernanda conseguiu até se enturmar em um grupo de meninas. Uma delas, inclusive, também era intercambista da Índia. Ou será que ela era do Paquistão? Ah, ela era de algum desses "Quistãos"... Tajiquistão... Sri Lanka! Isso, ela era do Sri Lanka! Eu acho...

Fernanda estava muito feliz com a vida nova mas em momento algum ela esqueceu dos seus amigos e uma vez por semana religiosamente ela, Tiago, Clara e Leonardo gastavam pelo menos uma hora conversando juntos no Skype. E foi justamente em uma dessas vezes que...