sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Batalhas Domésticas

Seu olhar estava fixo em sua presa. A cauda balançava de um lado para o outro, agitada com espectativa. Ageitou sua posição de ataque, mas logo arrefeceu, pois podia ser que a presa tivesse notado sua presença. Quando teve certeza de que era a hora de atacar, avançou com um pulo, mas em sua frente surgiu um bípede gigante, forçando uma manobra arriscada para evitar ser atropelado pela criatura lenta. Com uma fuga bem sucedida, refugiou-se debaixo da cama, sua cova secreta, enquanto o gigante blasfemava seu bom nome.

- Napoleão, seu doido! Pra que correr assim? Olha só essa bagunça, quanto pêlo! Tenho que falar pra Carla te dar um banho.

A grande criatura se afastou, e o Grande Felino saiu de seu esconderijo. As palavras daquela criatura desengonçada eram incompreensíveis para ele, tão bárbara e rude era sua língua, mas tinha certeza de que havia um tom de ameaça nelas. Achou melhor passar o resto do dia evitando aquela raça, para sua própria segurança.

O dia passou lento, de soneca em soneca pelos mais diversos cantos de seu território. Dormiu em cima do guarda-roupas, no cesto de roupas sujas da lavanderia, debaixo da colcha do casal de gigantes até ir para o seu local favorito no final da tarde: debaixo do sofá da sala de televisão, onde podia ouvir aquele ruído distorcido e embalador que vinha da caixa luminosa das criaturas gigantes. Era um ambiente quentinho e escuro, mas aconchegante por estar perto de outros seres sem ter que realmente interagir com eles. Por enquanto não havia ruído, mas o sol de fim da tarde entrava tão inclinado pela janela que o chão de madeira estava quentinho.

Então a pequena gigante colocou sua mãozinha por baixo do sofá e começou a tatear o chão a sua procura. Ao encontrar sua cabeça com um toque delicado, o Grande Felino acordou, e imediatamente começou a ronronar enquanto aquela criaturinha tão jovem lhe afagava entre as orelhas.

Ficou um tempão recebendo esses agrados, até que, quando ele estava bastante relaxado, aquelas pequenas mãozinhas traiçoeiras o prenderam e puxaram para fora de seu esconderijo.

- A mamãe quer te dar um banho. Você vai ficar bem bonito e cheiroso, Napoleão!

Enquanto era arrastado numa marcha fúnebre para a bacia quente da sua perdição, apenas um pensamento ocorreu ao Grande Felino:

"Deviam ter me avisado que hoje a batalha seria em Waterloo."