terça-feira, 18 de setembro de 2012

Esta Louca, Louca Corrida

- Está tudo pronto. Só que antes de começar, vocês precisam saber de algumas coisas. São só umas regrinhas básicas, umas dicas, para que tudo siga de forma tranquila para todos.

"Em primeiro lugar, vocês tem que respeitar o espaço um do outro. Sei que às vezes o caminho do outro pode ter menos pedras, mas o outro chegou lá antes por seu próprio mérito. Se ele te convidar a dividir aquele caminho, ótimo! A viagem será divertida sem pedras para ambos. Se não, é falta de respeito empurrá-lo para fora ou enganá-lo para que deixe aquele caminho livre para você. Mais do que falta de respeito, o segundo seria, com o perdão da expressão, uma puta sacanagem.

"Em segundo lugar, procurem não subir uns nas costas dos outros. Isso pode te poupar muito esforço, mas você não estará preparado para o que surgir no caminho, pois é o outro que vai ter se fortalecido, esforçando-se pelos dois durante todo o trajeto. E algumas das coisas que vocês vão encontrar pela frente são realmente difíceis de superar se você não tiver força suficiente para enfrentá-las.

"O quê? Não, não estou falando de você especificamente. Este é apenas um exemplo genérico do que pode acontecer.

"Em terceiro lugar, tentem se ajudar. Sei que pode atrapalhar o seu trajeto parar para ajudar um irmão que tenha caído pelo caminho, mas isso é o melhor para todos. Pensem bem. Se for você aquele que cair para fora da estrada, aposto que ficaria muito feliz e agradecido se fosse ajudado a se por de volta em seu caminho. Por isso, parem para ajudar a cada oportunidade que tiverem, mesmo que isso possa parecer desvantajoso no momento. Chegar na reta final com um amigo pode ser bem mais prazeroso do que chegar lá antes dos outros, mas sozinho.

"Tem mais uma dica que eu deveria passar para vocês, mas agora não me consigo lembrar de qual é. Bem, espero que isso seja o suficiente."

Passos mansos e curtos soaram atrás de si. O Menino se virou e viu que a Menina olhava curiosa para o que ele estava fazendo.

- O que é isso aí? – ela perguntou, apontando para a estreita tábua de madeira na frente do garoto, onde se podia ver três caracóis enfileirados. Mais adiante, a tábua estava ligada a outras, fazendo um longo caminho com curvas, obstáculos altos, pontes e até uma tábua de esfregar cheia de sabão. Depois de cerca de cinco metros de percurso, havia pintada uma faixa quadriculada preto e branca em cujas pontas duas pequenas bandeirolas estavam caídas pela falta de vento.

- É uma corrida de caracóis. Estava acabando de passar as regras a eles. Quer ver?

- Claro!

E os dois puseram-se a observar atentamente aquela corrida durante a tarde inteira.

Os pobres bichinhos, sem ter noção de onde estava e o que estavam fazendo, andavam pela tábua a uma velocidade hipnotizante, dando voltas, passando por baixo das tábuas e ficando paralisados diante da maioria dos obstáculos.

Quando o sol começou a baixar, o Menino soltou um suspiro triste e se levantou para desmontar a pista de corrida e ir para casa.

- É, acho que eles não entenderam muito bem as regras.