sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Não Tenho Tempo

O sol baixava vagarosamente por trás dos telhados enquanto a Artífice de Reflexos virava a placa de madeira em frente a sua porta para exibir a palavra "FECHADO". Aquela velha mulher de baixa estatura e pele enrugada pelo tempo exibia um ar mais pensativo que o de costume. Com movimentos lentos, ela puxou seu cachimbo do bolso e o acendeu, observando o pôr-do-sol ali do batente da porta.

"Não tenho tempo, ele disse. Mal sabe aquele Menino que essa é a coisa mais sábia que dirá em toda a sua vida. Nenhum de nós realmente possui o Tempo, ou sequer uma parte dele. Na melhor das hipóteses, estamos meramente mergulhados nele, sem escapatória, apenas com a escolha do que fazer no tempo em que nos encontramos. O Tempo simplesmente é, ele existe, e nós existimos nele. Tudo que se pode dizer do espaço, pode-se dizer também do Tempo, mas ele consegue ser um conceito tão subjetivo que todos os nossos sentidos são incapazes de percebê-lo. Podemos construir relógios para medi-lo, ouvir o seu tique-taquear, ver os números e ponteiros que tentam enclausurá-lo numa roupagem que sejamos capazes de entender, mas é tudo em vão. Não é possível interagir com o Tempo, de forma alguma, exatamente ao contrário do Espaço, seu equivalente tangível. Outra ilusão nossa. É igualmente impossível ter espaço. Documentos, assinaturas, nada disso vale de qualquer coisa para qualquer criatura deste planeta que não seja humana. Nós meramente ocupamos o Espaço.

"Não tenho tempo pra ver o futuro, disse o Menino quando perguntei se gostaria de ver o seu futuro no reflexo de um espelho. Ele nem quis entrar na loja. Realmente, é um conceito engraçado esse, Futuro. Tanto o Passado quanto o Futuro não existem. A mente humana gosta de inventar essas coisas. O Tempo só pode ser definido - isto é, se é que pode ser definido - pelo Presente. O Tempo é apenas o Presente. Os humanos criaram a palavra Passado para se referir ao Presente que não é mais, enquanto que o Futuro representa uma possibilidade de Presente. Nada além disso.

"Não tenho tempo pra ver o futuro, estou ocupado demais vivendo-o, ele disse. Também está certo. Só o que existe é o Agora. Espero que aquele Menino continue assim tão sábio no restante do Tempo que lhe cabe."