quinta-feira, 2 de maio de 2013

Laços

A batalha estava travada. Os olhos castanhos encaravam os azuis. As mãozinhas fechadas e a boca em linha reta esboçavam a fúria infantil contida. Melhores amigos são difíceis de se achar. E agora estavam tentando roubar o seu. Não iria permitir. Usaria toda a experiência que os seus seis longos anos de vida lhe proporcionaram para impedir isso. Iria vencer.

O primeiro dia de aula era sempre o mais difícil. A ansiedade, a noite mal dormida. O pesadelo da noite anterior, da hora perdida, ir para escola sem calças ou de ter que usar a calça de judô ao voltar pra casa. Os minutos que lhe tomavam ao acordar e perceber que não passara de um sonho.

Entrou no ônibus escolar pela primeira vez e se deparou com vários olhos curiosos. Ficou com medo. Sua angustia acalmou pela presença da irmã mais velha ao seu lado. Ela estava na sétima série, veteranos inspiravam respeito. Segurou a mão da irmã.

Sentou em um dos bancos da frente, não se atreveu a cruzar o meio do ônibus. Lá só pisavam os mais velhos. Quem sabe um dia, mas não hoje e nem amanhã.

Continuou a viagem encarando a paisagem rural e o cheiro estranho de quando passava perto da fábrica de pães. Tampou o nariz e foi nesse momento que percebeu que mais alguém sentia o mesmo incomodo. Eram grandes olhos verdes e eles estavam lhe encarando. Devolveu o olhar e viu que eles sorriam. Os olhos sorriram para ela. 

- Oi - Ela disse.

- Oi - Os olhos verdes responderam.

Tinha feito seu primeiro amigo. Seu novo melhor amigo. Seriam eles contra o mundo. Eles contra toda a nova escola. 

Mas ao chegar ao seu destino, o território desconhecido, formar fila e canta o hino, percebeu que tinha mais alguém almejando o mesmo melhor amigo. Eram grandes olhos azuis.

Os dias passaram e a guerra ganhou forma. Trabalhos em dupla eram tortuosos. Em trio pior ainda. Mas não existia nada pior que a hora do recreio. Em meio as brincadeiras de subir e descer na rampa, jogar queimada ou pular amarelinha, sempre havia a disputa. Quem era o melhor amigo dos olhos verdes? Quem iria formar dupla com ele?

- Ele disse que eu sou o melhor amigo. - Os olhos azuis brilhavam.

E eu a melhor amiga. - Os castanhos rebateram. 

E assim o anos passaram. Passaram do Jardim III para a primeira série. Da primeira para a segunda. Da segunda para a terceira. A rampa do primário foi fechada, a amarelinha agora estava pintada no chão com tinta, privando as crianças de roubar o giz do professor pra desenhar, e os olhos verdes saíram da escola. Foram embora para nunca mais voltar.

Não restou nada para os olhos castanhos e azuis além de crescer e seguir o próprio caminho. Sem seu melhor amigo.

------

- Então vocês são amigos há dezessete anos? Isso é tempo pra caramba. - Falou o rapaz do outro lado da mesa após ouvir a história.

Os dois encararam a cerveja a sua frente.

- Na verdade nós éramos inimigos.

Os olhos castanhos e os azuis sorriram. Melhores amigos assim são difíceis de se achar.