terça-feira, 23 de julho de 2013

Caminho

A multidão caminhava a passos firmes, crente de que estava no melhor caminho.

"Siga os passos daqueles que vieram antes" dizia o simpático senhor, do alto de sua sabedoria. "Não é necessário reinventar o que está certo".

Os olhos olhavam maravilhados para os lados. Eram tantos! Estavam tão bem amparados entre eles! O jovenzinho chato, porém, mantinha sua postura questionadora.

"Mas está errado! O caminho não leva a lugar algum!"

Alguns ignoravam, outros riam. "Meus pais seguiram por esse caminho", disse um. "Aprenda a respeitar o caminho alheio" dizia outro. A marcha seguia lenta e animada, mas o rapaz insistia.

"Vocês não notam? Esse caminho não leva a lugar algum!" Indignado, se preparava para virar na próxima rua à direita. Não queria fazer parte dessa marcha chata.

"Eu sei" disse uma voz feminina. Ao olhar para trás, o garoto se deparou com a mais bela moça que já conheceu. "O caminho não leva a lugar algum, mas é o mais belo caminho não levando a lugar algum".

O rapaz sorriu. "É verdade, não custa tentar". Andou ao lado da moça pelo resto do caminho, sempre olhando com um brilho nos olhos para as ruas que partiam de cada esquina. O tempo todo perguntava a si mesmo por que nunca tomara outra direção.