terça-feira, 9 de julho de 2013

» FLIP 2013

A FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) veio e se foi. No entanto, nenhum que dela participou ficou indiferente à sua passagem.

É impossível deixar de sorrir a maior parte dos dias dessa festa. A literatura atrai pessoas de diferentes cidades e países, e a cidade, que é um charme em si, se enche de livros, critica literária, autores, leitores, editores, artistas de rua, música, poesia...



A cidade histórica foi palco de diversos debates: desde a rebeldia necessária à poesia e a irreverência que a prosa deve possuir, até os limites das palavras, as possibilidades de inovação da literatura hoje e a leitura nas redes sociais.

Impossível também deixar o evento sem comprar livros. A cada autor ou obra descobertos, a livraria torna-se ímã, reforçado pela possibilidade de conseguir o autógrafo do autor ou de com ele trocar umas ideias, seja logo após um debate, seja encontrando-o na rua ou numa festa.

E no fim da festa, como se um redemoinho tivesse por todos passado, uma vaga ideia vira profundas reflexões, uma viagem, várias, uma imagem, mil palavras. Para, ano que vem, tudo voltar a rodar, romper, construir e multiplicar-se outra vez. Feroz e delicadamente. Que venha mais!


Priscilla Durigan