terça-feira, 16 de julho de 2013

Varal

No varal pendurava roupas, olhares, cadeiras, livros, aviões. Pendurava grampos, pedras, flores, brincos, sujeira. E ainda lágrimas, dores, horrores, esperança.

E eu só esperava que não pendurasse as chuteiras.