quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Estrambólico #2

"As incríveis aventuras do Ornitorrinco Biônico!"

- E então, o que acharam do título?

- Fantástico!

- Sensacional!

- Estupendo!

- Er... bem... - o ator principal se remexeu desconfortavelmente na cadeira. - Eu gostei, mas... será que não está um pouco exagerado?

- Exagerado? Bem, poderíamos tirar o "incríveis". Assim está melhor?

- Não é exatamente esse o problema.

- O que quer dizer?

- Até entendo que o personagem principal seja um ornitorrinco herói... Quer dizer, não entendo, mas foi mais fácil de engolir. Agora, não basta eu ser o animal mais estranho do mundo, ainda por cima vou ser um ciborgue?!

- Mas meu caro, você é um ornitorrinco. É por isso que o contratamos.

- Não é essa a questão. Olha, eu li o roteiro da temporada inteira e me parece que vocês tentaram colocar muita coisa no show ao mesmo tempo. Por exemplo, no episódio dois vocês já apresentam toda a infância traumática do Super Equidna, o arqui-inimigo do Ornitorrinco Biônico. E depois, no episódio cinco a Super Equidna já mata a amada do herói, causando uma reviravolta imensa na história.

- Você queria ser a Equidna, é isso o que está dizendo?

- Não! Eu sou um ornitorrinco! Como eu poderia fazer o papel da Super Equidna?

- Olha, eu sei que o salário não é lá essas coisas, mas ainda nem gravamos o episódio piloto. Temos que conseguir a aprovação do estúdio, aí podemos te dar um aumento.

- Mas não é isso o que...

- Senta aí e vamos repassar o roteiro de uma vez - interrompeu a toupeira, que faria o papel do ajudante atrapalhado. - Temos prazo pra gravar essa coisa.

E assim, com a derrota moral do Ornitorrinco Biônico, teve início mais um sucesso global da televisão!