quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Acho que nem acordada o veria tão bem

A vó parecia preocupada com alguma coisa. Voltou-se para sua neta, ao seu lado, com um tom que lhe pareceu baixo:

- Você sonha?

A moça sorriu.

- Sonho!

O semblante da vó descontraiu na hora.

- Ah, ‘tá. É que eu pensei que fosse coisa da idade. Eu tenho sonhado tanto!

- Todo mundo sonha, e toda noite. Acontece que normalmente a gente não se lembra do que sonhou.

- E uns sonhos tão engraçados! Gente que a gente não vê há anos... O Abílio, há quanto tempo já morreu, nem me lembrava mais dele, e ele 'tava lá. Acho que nem acordada o veria tão bem.