segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A dança das lembranças

"O amor não é só um sentimento" dizia ele enquanto a olhava nos olhos, conduzindo os passos para direita e para a esquerda de acordo com a música. "Sentimentos são voláteis. Uma hora querem o bem e outra o mal. O amor é maior que isso: ele está disposto a superar os sentimentos. É uma postura, uma convicção. Antes de estar feliz ou infeliz, antes de estar contente ou não com a sua atitude, eu a amo. E por amá-la, estou disposto a superar o mundo e a mim mesmo".

Ela correspondia o olhar com aquele sorriso só dela. "Eu também amo você. Eu estarei disposta a superar tudo em nome desse amor".

A dança seguia bela e compassada, como um sonho perfeito. Mas não, não era ela que falava, e sim uma imagem que ele construíra dela.

Dançava ele com as lembranças do amor que nunca se tornou seu de fato. Essas lembranças eram aquelas do olhar, do sorriso, da alegria e daquelas mentiras que guardou com tanto carinho no coração. Não havia nessa dança o olhar tímido para o chão e o "precisamos conversar". Não acompanhava o som o olhar resignado enquanto ela dizia "fique bem". Os passos não se pareciam com aqueles de quando voltou sozinho caminhando sentindo o mundo desabar ao seu redor.

Escolheu a imagem das lembranças como parceira e deixou de dançar com a vida. Flertou com o passado em sacrifício do presente. Lentamente, mergulhava no vazio e no silêncio... mas a dança era linda. Ela não poderia ser parada.