terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Segredo

Em um lugar muito distante, existia um vilarejo que carregava uma antiga lenda: a de que lá existia uma farmácia que tudo curava. Se era verdade, ninguém sabia. Mas o lugar existia e quem fosse até la encontraria um senhor gorducho de bochechas vistosas e sorriso bondoso atras do balcāo.

Em um determinado dia, quase na hora de encerrar as atividades, um garotinho de não mais de um metro e meio esperava balançando nas pontas dos pés para ser atendido.

- Boa tarde menino! Em que posso ajudar?

- To com uma dor que não passa. Já faz mais de mês.

- Pois bem, então me fale o que está sentindo.

Ele parou para pensar como se não estivesse preparado para aquela pergunta. - Eu to com uma dor aqui. - Apontou para seu estômago.

- Então está com dor de barriga?

- Não sei. As vezes dói o peito. É sempre quando eu lembro que começa a doer. E eu sinto falta de ar também. -  Ele parou por um momento e percebeu que chegara a conclusão de seu problema. - Acho que estou com dor nas lembranças.

O senhor observou o garoto por alguns segundos tentando entender o que eram aqueles sintomas.

- E quando isso começou?

- Acho que foi quando a mamãe foi embora. Ela ficou muito doente e um dia falaram que ela se foi. Ela nunca mais voltou.

Um olhar surpreso e carinhoso atravessou o rosto bondoso do farmacêutico.

- Acho que sei o que você tem. As vezes os olhos ardem também?

- Com bastante frequência. As vezes chegam a lacrimejar, quando não saem gotas maiores, senhor.

Ele confirmou com a cabeça e então foi até o fundo da loja. Alguns segundos depois voltou segurando dois objetos.

- Você está com uma dor que nós chamamos de dor das estrelas. Existe um dia em que as pessoas adoecem. Então elas viram estrelas. Já observou como tem tantas estrelas no céu, menino? - O rapazinho assentiu.-  O que você está sentindo é saudade. Para isso, esse objeto vai resolver.

Ele entregou um pequeno binoculo ao garoto.

- Quando começar essa dor, você olha nele. A estrela mais brilhante vai ser sua mãe. Se fizer isto a dor vai passar. Mas você só pode fazer uma vez por dia. Estrelas não gostam de ser incomodadas, elas tem uma vida muito ocupada, cheias de festividades. Se doer demais, pode olhar mais uma, mas apenas uma.

Terminado isso ele deu um outro objeto para o menino, um saco que cabia na palma da sua mão, e quando aberto revelava várias bolinhas de gude.

- E com elas eu faço o que?

- Esse vai ser um segredo nosso. Nunca contei para ninguém, caso contrário não teria clientes, mas brincar com essas bolinhas duas vezes ao dia cura todos os males. Não precisa nem de remédio.

O menino foi embora sorrindo. Com o passar do tempo a dor diminuíra, como tinha dito o velho senhor. Continuou a observar o céu e percebeu que as estrelas não o machucavam mais. As vezes chegavam até a lhe aquecer o peito.

Nunca contou a ninguém o segredo das bolinhas de gude, mas ajudou a espalhar para todos a lenda do vilarejo.