quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O Mito da Ponte

- Você sabia que existem outras gotas d'água por aí?

- Não acredito!

- Pois é verdade! Quando elas chegam bem perto do nosso mundo, é possível ir andando até elas através de uma ponte que se forma em pleno ar.

- Só acredito vendo.

Os dois habitantes daquela gota d'água continuavam a discutir enquanto seu diminuto mundinho se aproximava do sol, lá no alto. A conversa por fim cessou em desacordo, e por vários dias os dois amigos não se falaram.

Então que algo inédito aconteceu. Um dia o seu mundo começou a crescer e inchar e o céu se tornou escuro. Os dois amigos, assustados, voltaram a se falar para afastar o medo, e foi então que chegaram a uma conclusão: o céu se tornara escuro devido à infinidade de outros mundos que o tampavam.

- Mas você não disse que quando eles chegavam perto assim ia aparecer uma ponte?

- É, disse...

Eis que um clarão iluminou o céu com um som estrondoso, e os dois amigos se abraçaram com ainda mais medo que antes. Um vento forte quase os arrancou de sua gota. Demorou alguns décimos de segundos para perceberem que o vento soprava de baixo para cima.

No meio da queda, o sol conseguiu abrir um pequeno buraco no aglomerado de diminutos mundinhos d'água e seus raios tocaram todas as gotas que caíam. A luz se dissolveu num arco colorido e brilhante que envolveu todos aqueles mundos. Muitos dos seres que habitavam as gotas deixaram suas casas e passaram a andar naquela ponte.

Os dois amigos não ficaram para trás. Subiram na ponte e ficaram a observar a queda das gotas d'água à medida que os mundos iam passando e deixando cada vez mais forasteiros naquele arco de cores. Mesmo sem saber o que aconteceria com a sua gota depois daquilo ou como viveriam dali em diante, os dois amigos não estavam mais assustados. Agora percebiam que o mundo era muito mais vasto e surpreendente do que parecia e as possibilidades que lhes reservava o futuro eram igualmente infinitas.