quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Tiny Bells

Os olhos eternamente abertos finalmente contemplaram a luz, depois de muito tempo mergulhados em profunda escuridão. Encontraram um ambiente desconhecido, muito mais amplo e iluminado do que os anteriores - não era a primeira vez, tampouco acreditava que seria a última; de tempos em tempos, ele abria a porta, esfregava as mãos com ansiedade e alegria, juntava os lápis, pincéis e papéis espalhados sobre a mesa e olhava diretamente para ela com uma piscadela marota.

“Vamos para um lugar mais confortável, Tiny.”

A partir daí, era questão de tempo até que os móveis, acessórios e apetrechos sumissem de sua vista e o mundo todo fosse cuidadosamente transportado em uma viagem de destino incerto. Porém, ela não sentia medo, sabendo que seu lugar de honra permaneceria intacto. E dessa vez não foi diferente.

O novo cômodo era o maior e mais confortável de todos, a ponto de seu raio de visão não ser capaz de englobá-lo completamente. Isso era um pouco desagradável, mas fácil de lidar, já que a grande prancheta e a cadeira dele ficavam um pouco abaixo do lugar destinado a ela, aproximando-os como nunca. Poderia vê-lo trabalhar tão de perto que sentiu um intenso arrepio de satisfação, como o da primeira vez que tomara consciência de si própria e da existência dele.

“Você vai poder me dar umas opiniões agora, não é Tiny?”

Ele sorriu e olhou para cima, fitando-a como se lesse seus pensamentos, algo que ela já entendera ser apenas fruto de sua pequena imaginação. Mesmo sorrindo, dizendo palavras gentis e sendo observado o tempo todo, ele nunca a alcançaria dessa forma. Sim, ela adoraria dar opiniões e conversar sobre todas as coisas, inclusive a respeito dos futuros irmãos que nasceriam da tinta e da imaginação dele. Entretanto, isso era maravilhoso na mesma medida que era impossível.

Pois ela também era uma figura nascida da mesma fonte, composta de traços coloridos sobre um papel já amarelado, apesar da proteção plastificada e da moldura renovada imortalizarem seu sorriso suspenso no tempo.